Diretor do Conjunto Penal de Feira de Santana pede exoneração do cargo

Após seis anos como diretor do Conjunto Penal de Feira de Santana, o major PM Allan Araújo pediu exoneração do cargo. Ele estava à frente da unidade desde o dia 14 de maio de 2016.

O policial penal José Freitas Júnior assumirá o cargo. Vale lembrar que Júnior que já foi diretor adjunto do presídio, no período de 8 de junho de 2016 a 22 de novembro de 2017.

Também foi exonerado a pedido, o atual diretor adjunto, Roque de Jesus Carvalho, que ficou no cargo por quatro anos. As exonerações e a nomeação foram publicadas na edição desta terça-feira (31), no Diário Oficial do Estado.

Em nota, o Major Allan Araújo faz agradecimentos e informa que retorna às atividades na Polícia Militar com o sentimento de missão cumprida. Leia a nota na íntegra:

Hoje se encerra um ciclo, a oportunidade proporcionada de aprendizado na função mais desafiadora que exerci e deixará pra mim um legado muito importante que levarei para o resto da vida: A sensação de dever cumprido e o sentimento de gratidão por todos que fizeram parte desse processo.

Gratidão pelo apoio nos progressos conquistados nos desafios que foram postos nesses seis anos, nos quais busquei desenvolver o trabalho a mim confiado de maneira técnica, tendo como foco na responsabilidade com a coisa pública e nos valores conferidos pelos meus pais, o Senhor Aldemir e Senhora Livia Araújo, com os quais durmo e acordo na mais sublime paz.

Gratidão a todos que me acolheram no Conjunto Penal de Feira de Santana e que foram responsáveis por atenuar o desafio de dirigir a maior e mais complexa unidade prisional de Estado, obrigado ao Comando Geral da PMBA, ao Secretário da SEAP e ao Governador do Estado pela oportunidade.

O Sistema Prisional é muito delicado, em sentidos variados, controlar esse ambiente não é fácil. Desejamos que, para o bem social de Feira de Santana e região, mais avanços sejam alcançados no Conjunto Penal de Feira de Santana, de maneira que o Sistema de Justiça e Defesa Social receba o suporte necessário.

Neste critério, o papel da imprensa é muito importante, pois, é através dela que a opinião pública é acolhida e as questões que envolvem a ressocialização são fomentados. Obrigado a todos os amigos da imprensa pelo apoio dispensado, sem este, de certo o desafio seria muito mais fatigante.

Retornarei a minha Instituição com o sentimento de dever cumprido e certo que busquei desenvolver meu trabalho com honradez e princípios legais e morais.

Deus nos abençoe!

Muito Obrigado

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui